18.9.08

Positivando a vida

“A vida vem em ondas como o mar”. Realmente pensei em começar este relato com esta passagem. Achei muito óbvio, embora demonstre bem o que quero dizer. Pensei, pensei, pensei e a outra frase que me ocorreu foi: “Ou a vida é uma ousada aventura, ou não é nada”. Gostei dessa, se bem que aventura não precisa necessariamente ser ao pé da letra, mas que você ouse viver a vida de forma a usufruir o melhor que ela oferece e, literalmente, não tenha medo de ser feliz.

Venho relatar hoje o que fiz durante minha ausência esse tempo todo aqui neste espaco. Você bem reparou que está tudo novo, assim como eu próprio sinto-me por dentro. Escrevo ainda da Nova Zelândia e os últimos meses foram, sinceramente, clássicos! Fazendo o link com o último relato, foram tempos de muito trabalho e escalada no pouco tempo de folga. No começo o dia-a-dia na cozinha foi complicado mas acabei me adaptando, com sacrificio e vontade. Aprendi a fazer saladas, tortas, sobremesas e outras delicias, cada uma pacientemente ensinadas por Anne.

Explorei as paredes da região e o mais usual foram os boulders (blocos) de Jardines, aqui pertinho, mas a melhor descoberta sem dúvida foi Wye Creek, uma imensa falésia de vias prazerosas. O visual inclui o imenso lago Wakatipu, as montanhas e uma estreita e gelada cachoeira. A derradeira escalada do verão foi o topo das montanhas Remarkables, que tem Double Cone como ponto mais alto, com 2340m. Também foi minha primeira escalada em estilo tradicional, ou seja, sem a utilização de grampos fixos, somente com equipamento móvel que não danifica a rocha. Foram 7 cordadas e muita adrenalina, tanto na agradável subida quanto na arriscada descida.

2007 terminou em alto estilo, com um salto de paraquedas em Glenorchy. A queda livre só pode ser definida como viciante. Senti poucas sensações tão boas até agora na vida. O ano novo chegou cheio de bons fluidos e já no primeiro dia encarei uma dificil jornada de bicicleta até o lago Mavora, foram 100km em dois dias por um encantador vale entre as montanhas. Relaxe, tudo isso eu ainda vou contar com todos os detalhes.

O verão seguiu cheio de emoções. Segui trabalhando em média 12 horas por dia, por isso qualquer tempo livre tinha que ser muito bem aproveitado. A principal atividade foi mesmo a slack line. Aos 45 do segundo tempo, já em maio, peguei um avião e senti algo antes nunca vivido por mim: férias no Brasil! Fui logo gastar meu dinheiro na Cidade Maravilhosa, não sou mané. Tinha os objetivos de aprender massagem ayurvédica e explorar as montanhas que ornamentam tão bem a Guanabara. Aprendi uma eficiente massagem que hoje me ajuda muito aqui no novo emprego. As aventuras foram além do esperado e o auge foi o highline da Pedra da Gavea.

Era uma vez um grupo de escaladores que foram pra montanha e encontraram tempo ruim. Sem ter o que fazer, pegaram o equipamento que tinham e inventaram um esporte chamado Slack Line, que consiste numa fita de alta resistencia tensionada entre dois pontos, o praticante tem como objetivo equilibrar-se sobre esta fita. Porém, a brincadeira fica BEM mais divertida se esta fita estiver BEM longe do chão, dai surgiu o Highline. Meu grande novo amigo Hugo é o cara que comanda no Brasil e me levou para o mais alto highline do pais e o quarto que se tem noticia até hoje no mundo. Com mais de 800m, no alto da Pedra da Gavea, na cidade do Rio de Janeiro. Inesperadamente, a sensação mais intensa que já vivi.

Voltei para casa, em Londrina, e logo chamei uns amigos para fazer outro highline, desta vez entre dois prédios abandonados. Uma tarefa mais fácil, porém de alto nivel. Glorioso! Passei um tempo curtindo os velhos amigos e minha mãe e me preparando para dois grandes eventos que viriam a seguir. Segui para Paraty para a cerimônia de casamento de meu amigo Pedro, que por acaso conheci 5 anos atrás num ponto de ônibus na India, com Teka e na outra semana fui padrinho de meu irmão em sua união matrimonial com Ana Paula. Dois momentos fabulosos, duas festas perfeitas onde celebrou-se o amor e onde pude comparecer com meus votos de muita felicidade para essas familias que dão seus primeiros passos. Pra mim, a maior e mais ousada aventura da vida.

As férias ainda não tinham acabado. Retornei a Minas Gerais após mais de 20 anos e conheci um lugar inesquecivel, único por suas cachoeiras de água pura e por imensos vales e montanhas verdes, perto de São Lourenco e Baependi, onde realizou-se o ENCA, um encontro de arte e espiritualidade que acontece a 32 anos no mes de julho, este ano no Vale do Gamarra. Lá reencontrei uma linda familia que me acompanha aonde quer que eu vá, que me dá forca e inspiração e que é o pote de ouro no fim do arco-iris…AHO!

Agora sim era hora de partir, retornar a New Zeela e reativar o processo aqui. Cheguei cheio de animo e com novos conhecimentos. Não vou deixar de relatar cada história aqui. Hoje, curta este video de um salto delicioso do primeiro bungy jump criado no mundo, com as fotos aqui do lado e com o incentivo de pulsar coragem de dentro de você para ousar, positivar a vida e voar.

3 comentários:

Oriana Shakti disse...

Tyago!
muito legal seu blog!!!!!
lindo!
mas... me conta, voce só viaja?
rsss
me explica isso?
ganhou na loteria e saiu pelo mundo?
hehehe
beijossssss
Ori

Léo disse...

Cara, tu é um,a BAITA INSPIRAÇÃO! continue a alimentar esse blog porque ele é genial!
abração aqui desde o Rio
Léo (trotatorres)...
po cara, to aqui no escritório e meu deu lágrima nos olhos...
O MUNDÃO BÃO DE CONHECER!!!!!!!!!

Almost Kiwi Boy disse...

Seja bem vindo de volta ao mundo virtual Mr Pedaleiro.
Gostei do novo visual e do seu retorno.
Siga postando.
Sorte sempre.